Sua empresa se comunica bem internamente?

HiMaker Blog Leave a Comment

 

“Mas eu não sabia disso!”, “Que reunião?”, “A entrega estava marcada para hoje?”. Estes são apenas exemplos de frases que já se tornaram comuns em ambientes corporativos. Não é de hoje que uma boa parcela de empresas têm apresentado falhas em seus processos internos e dificuldades na fidelização de seus clientes devido a um fator específico: comunicação. Aliás, a falta dela.

Os efeitos de uma comunicação desestruturada não são refletidos apenas do lado de dentro. Uma empresa defeituosa na cultura organizacional faz transparecer as suas falhas para os parceiros, fornecedores e, principalmente, para os seus clientes. Um prazo de entrega não alinhado, um contrato enviado com cláusulas erradas, informações divergentes passadas para o cliente por pessoas distintas e tantos outros deslizes consequentes da falta de concordância comunicativa da própria empresa.

Mas, calma. Não é impossível melhorar. Para que as boas práticas de comunicação interna sejam parte do dia-a-dia da empresa, é necessário começar gradualmente. Os poucos hábitos iniciais bem aplicados, a longo prazo, tornam-se naturais no ambiente organizacional:

Saiba com quem está falando

Antes de passar qualquer informação, conheça bem o seu interlocutor. Procure saber como ele gosta de ser tratado e a maneira como ele se comunica. Não se dirija ao seu diretor da mesma maneira que conversa com seu colega de trabalho, principalmente se o assunto da conversa tiver um tom mais formal. Se você conhece bem a pessoa com quem está se comunicando, pode direcionar a sua conversa de acordo com os interesses dela e atrair atenção com mais facilidade. O mesmo princípio vale se você precisa falar com um de seus funcionários, caso lidere uma equipe: cada indivíduo tem um perfil diferente, portanto encontre a melhor maneira de abordar os temas necessários de acordo com a personalidade do seu interlocutor.

Seja claro e objetivo

Lembre-se: você irá comunicar algo com um objetivo. Não deixe seu interlocutor com dúvida a respeito do que você realmente quer com aquela mensagem. Utilize palavras simples e procure não dar muitas voltas para chegar ao assunto; porém, não se esqueça que contextualizar a mensagem sem exageros é muito importante antes de ir direto ao ponto.

Fale a verdade

Sua mensagem, acima de tudo, deve ser verdadeira. No meio corporativo, meias verdades não têm vez. Elas podem resultar em prejuízos financeiros, falhas no planejamento e até mesmo alguns conflitos podem surgir por causa de uma verdade “maquiada”.

Não rejeite os feedbacks

Você já emitiu sua mensagem, agora chegou a vez de escutar. Um feedback pode ser positivo ou negativo, pode servir ou não servir, portanto analise a relevância do feedback que recebeu e decida qual atitude tomar em relação a ele. Adote sempre uma postura de interesse; achar que sua ideia ou atitude não necessita de melhorias é um tanto quanto perigoso e você pode perder muito com isso. A contribuição do seu interlocutor pode te fazer melhorar e te surpreender. Não se esqueça de agradecer o feedback, seja ele qual for.

Utilize a tecnologia ao seu favor

A maneira de se comunicar mudou e com as novas maneiras de se comunicar, veio a grande aliada da boa comunicação: a tecnologia. Uma pesquisa publicada no Institute for Public Relations (IPR), realizada com 26 empresas dos Estados Unidos, concluiu que as novas gerações de colaboradores estão demonstrando desinteresse por e-mails longos como forma de comunicação interna. Isso nos mostra que existe uma necessidade evidente de novas plataformas que tornem o modelo de comunicação interna mais prático, objetivo e evoluído.

Empresas e organizações que querem evoluir precisam estar cada vez mais unificadas em termos de comunicação, por tal motivo, é crescente a procura por tecnologias que facilitam a troca de informação entre os colaboradores.

Cultivar uma boa comunicação interna não é impossível. Comece aos poucos e logo você verá os resultados positivos nos processos da empresa. Uma boa comunicação é uma das chaves para um crescimento sólido de uma organização.